Secretarias e Órgãos

Telefones úteis

Redes Sociais

voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Ceará registra queda nos índices gerais de roubo e furto em dezembro de 2017
Seg, 15 de Janeiro de 2018 08:36


Os esforços empregados pelas forças de segurança do Ceará, em 2017, no combate ao Crime Violento contra o Patrimônio (CVP) apresentaram queda nas duas categorias no mês de dezembro, assim como os números de furto. Já os índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), no mesmo mês, tiveram aumento em relação ao mesmo período de 2016, de 320 para 454 casos. Por outro lado, dezembro também registrou a maior queda em um único mês desde abril de 2017 quando foram contabilizados 378 homicídios. Os dados foram apresentados pelo secretário da Segurança Pública, André Costa, na tarde desta sexta-feira (12), em reunião do programa “Em Defesa da Vida”, realizada na sede da SSPDS.  

O secretário André Costa declarou que tem destinado todos os esforços para combater o crescimento da violência no Estado, por meio de ações para fortalecer as Polícias com o intuito de conter o avanço da criminalidade no Estado. “Desde dezembro, com o incremento no policiamento, temos investido na territorialização da Polícia, fazendo com que os policiais estejam presentes 24 boras por dias nas periferias e nas comunidades. Isso tem trazido um bom retorno do nosso trabalho. Além disso, nós conseguimos reduzir os números de homicídios em sete das 22 Áreas Integradas de Segurança, o que representa cerca de um terço das AISs. Estamos analisando as experiências que deram certo nessas regiões para replicarmos nas demais áreas.”, comentou o titular da Segurança.

Para o secretário grande parte das mortes violentas no Ceará tem a ver com o acirramento das disputas entre grupos criminosos. “Nós temos uma série de dinâmicas que interferem nos números. Houve um claro acirramento entre esses grupos e, por isso, nós temos visto que grande parte das mortes são resultante dessa disputa por território e mercados. Precisamos trabalhar em cima dessa problemática. O Estado do Ceará não vai resolver sozinho esse problema, pois eles atuam em todo o País. É preciso que o Governo Federal tome as rédeas do problema, chame os Estados para uma atuação coordenada e cumpra o seu papel. Hoje, todo investimento em segurança pública no Ceará é feito com recurso 100% do governo estadual”, pontua. 


Presente na reunião, a promotora de Justiça, Joseana França Pinto, reforçou o papel do Ministério Público no trabalho integrado que vem sendo desenvolvido com as forças de segurança. “A gente não pode lidar com um fenômeno, que são as organizações criminosas, sem conhecer do que se trata. Não existe fórmula mágica. Existe, sim, uma prioridade no trabalho da inteligência. O combate à criminalidade é uma das atribuições do Ministério Público. É de nosso interesse unir os esforços para o enfrentamento de uma problemática, que é nacional. Isso é responsabilidade do Governo, do Ministério Público, do Tribunal de Justiça, da imprensa e da população também. Não estamos aqui para apoiar, estamos aqui para somar forças”, reforça a promotora.


Índices

Os números de CVP-1, que inclui roubo a pessoa, roubo de documentos e outros tipos de roubos, registrou diminuição de 3,7% em comparação aos números de dezembro de 2016, saindo de 5.020 registros para 4.419 casos, em 2017. A redução também aconteceu nos índices da Capital (-16,1%), do Interior Sul (-19%) e da Região Metropolitana de Fortaleza (-0,3%).Já o CVP-2, que inclui os índices de roubo de carga, roubo com restrição de liberdade da vítima, roubo a residência, roubo de veículo e roubo a banco, caiu 3,8%, saindo de 1.026 casos, em 2016, para 987 registros no ano passado.Fortaleza (-14,6%) e o Interior Sul (-15,3%) também tiveram diminuição. A queda é resultado das ações que vêm sendo desenvolvidas pela SSPDS e por suas vinculadas – Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense. As taxas de furto apresentaram leve queda em dezembro de 2017: 0,5%. Foram 4.843 registros deste tipo de crime nas delegacias do Estado no mês contra 4.862, em 2016, uma diferença de 19 casos entre os períodos.

Os índices de CVLI, em dezembro de 2017, tiveram alta de 41,9%, comparando o mesmo período de 2016. Foram 454 mortes, em 2017, contra 320 do ano anterior. Apesar disso, é o segundo mês consecutivo de queda indicando uma perspectiva de redução nos índices de mortes violentas para os próximos meses. Dezembro também teve a maior queda desde abril de 2017, quando foram registrados 378 casos. O Interior Sul foi a única região que apresentou queda em mortes violentas: 17% (de 88 casos, em 2016, contra 73 no ano passado).

Acumulado de 2017

Nos últimos dois meses de 2017, o Estado acumulou alta no CVP-1, CVP-2, furto e CVLI. O CVP-1 apresentou alta de 3,7%, saindo de 60.923 registros, em 2016, para 63.203 no ano passado. Os índices de CVP-2 tiveram variação, para cima, de 9,4% (de 11.738  casos para 12.844, em 2017). Os furtos saíram de 56.553 casos, em 2016, para 59.644 no ano passado. Já o índice de mortes violentas cresceu 50,7% em todo o Estado, saindo de 3.407 para 5.134 casos em 2017. Foram registradas altas em todas as áreas do Ceará.


Fonte: SSPDS

 

Calendário

Fevereiro 2018
D 2a 3a 4a 5a 6a S
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 1 2 3