Secretarias e Órgãos

Telefones úteis

Redes Sociais

voltar imprimir
Aumentar texto Diminuir texto
Segurança pública conta com o apoio de 56 cães e 118 cavalos
Qui, 05 de Outubro de 2017 08:01



Não é novidade que os animais estão presentes no dia a dia dos seres humanos, seja como animais de estimação, selvagens ou utilizados na locomoção. O fato é que esses seres fazem parte do cotidiano e são indispensáveis para a vida terrestre. Hoje, 4 de Outubro, é o dia escolhido como o Dia Mundial dos Animais, e nada mais justo do que falar dos nossos ilustres parceiros de quatro patas que fazem parte da Segurança Pública do Ceará.

As Policias Civil e Militar, assim como o Corpo de Bombeiros utilizam animais como métodos agregadores de segurança, reforço e aproximação social. São diversos os modos de atuação dos cães e cavalos que fazem parte das vinculadas da SSPDS. A Polícia Militar do Ceará conta com o Regimento de Polícia Montada (Rpmont) e a Companhia de Policiamento com Cães (Cpcães), o Corpo de Bombeiros utilizam os melhores amigos do homem na Seção de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (SBRESC), já a Polícia Civil atua com cachorros farejadores na Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD).



A Cavalaria da PMCE foi a primeira unidade das Forças de Segurança do Ceará a utilizar animais no patrulhamento ostensivo. A Corporação passou de fato a ter uma Cavalaria como estrutura provida de organização militar, somente em 1891, quando o Governador do Estado, Gal. José Clarindo de Queiroz promulgou o Decreto nº188, de 25 de maio de 1891, que organizava o Corpo de Segurança Pública do Estado (PMCE). Esta unidade recebeu a denominação de Piquete1 de Cavalaria. Era composta por três cabos, 12 soldados e 12 cavalos, ou seja, três esquadras. Esta, certamente, pode ser compreendida como a origem da nossa Cavalaria.

Atualmente, o regimento conta com 118 cavalos que não podem atuar por mais de seis horas diárias. De acordo com o tenente coronel Ricardo, comandante do Rpmont, a visão do policial fica privilegiada quando montado no animal, além do acesso fácil a locais em que uma viatura não conseguiria adentrar. "O animal pode ter acesso às regiões onde uma viatura é impossibilitada de entrar, como becos e ruelas. O porte do cavalo também ajuda no policiamento ostensivo, intimidando ações criminosas", afirma o comandante.

Melhores amigos do homem

Os cachorros não poderiam ficar de fora da estrutura da segurança, a PMCE, por exemplo, conta com 44 animais adultos e cinco filhotes na Companhia de Policiamento com Cães (CPCães). A companhia foi criada em 26 de Junho de 1976, por meio de uma doação, do 23° Batalhão de Caçadores, de oito cães da raça Pastor Alemão, os quais passaram a desempenhar as ações de cães da PMCE. Os animais atuam na detecção de entorpecentes e explosivos, patrulhamento motorizado, em grande eventos e exibições, por meio do Dogshow, nas mais diversas instituições.

O capitão Lutiane, lotado na CPCães, explica que os animais não trabalham mais de seis horas por dia e são parte fundamental da companhia. "A principal característica desses cães é a confiabilidade, eles são leais. Além disso, são extremamente carinhosos e aguerridos", afirma o capitão.

O Corpo de Bombeiros Militar do Ceará também atua com cães, os animais são utilizados no serviço de busca de pessoas perdidas em matas, escombros e em ambientes de difícil acesso.  Atuando há dez anos, a Seção de Busca, Resgate e Salvamento com Cães (SBRESC) possui oito cães, sendo quatro operativos, ou seja, prontos para o serviço e quatro em treinamento. Para fazer parte da SBRESC, o cão passa por um treinamento de dois anos que tem inicio quando ele ainda é um filhote. O cabo Raphael Aguiar, lotado na seção, explica que o trabalho é realizado em conjunto, funcionando em total parceria com o animal.  "O animal tem que amar pessoas, quanto mais se socializa com crianças, idosos e adultos, mais o cão passa a interagir. Quanto maior for o convívio dele com pessoas, melhor ele realizará o trabalho", explica.

Os cães são utilizados em área urbanas, quando ocorrem catástrofes ou ocultação de cadáver e em áreas rurais, onde mais atuam, encontrando pessoas que se perdem por problemas psicológicos ou de localização.

A Polícia Civil do Estado do Ceará, por meio da Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD), conta com dois cães farejadores que auxiliam no combate ao tráfico de drogas. Os animais fazem parte da divisão desde 2016.


Fonte: SSPDS

 

Calendário

Novembro 2017
D 2a 3a 4a 5a 6a S
29 30 31 1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 1 2